blog

lilian agostinho imoveis guaratingueta

Caixa reduz as taxas de juros para habitação, entenda

A Caixa Econômica Federal é, em primeiro lugar, reconhecida pela negociação quando o assunto é a compra do novo imóvel. Isto é, muitas famílias procuram o banco para financiar a casa própria todos os dias e em Guaratinguetá não é diferente. Contudo, várias novidades anunciadas pela instituição animaram ainda mais as construtoras, imobiliárias e, claro, os clientes: a Caixa reduz as taxas de juros para habitação, aumenta a porcentagem de financiamento total e ainda renegocia dívidas. Conheça abaixo os detalhes.

1. Quando passa a valer

As novas taxas começam a entrar em vigor no dia 10 de junho. Assim, já, já você consegue financiar o seu imóvel com ainda mais vantagens. Mas atenção às regras.

2. Taxas igualadas no imóvel residencial

Um dos pontos que mais chamam atenção em como a Caixa reduz as taxas de juros para habitação é que elas passaram a ser as mesmas em duas modalidades.

Em síntese, tanto no SFH (Sistema Financeiro de Habitação), para imóveis com valor de até R$ 1,5 milhão, quanto no SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), para imóveis acima de R$ 1,5 milhão e que não podem ser financiados com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

3. Como ficaram as novas taxas residenciais

Entendido que houve um corte na taxa de juros, certo? Então vamos lá.

Até dia 31 de julho, confira o que muda na taxa promocional em Guaratinguetá:

Se você não tiver relacionamento com a Caixa e quiser criar, com Conta Integrada mais Débito em Conta (conta salário e conta poupança, por exemplo), você tanto optando pelo SFH quanto pelo SFI vai pagar 8,5% ao ano.

Se você quiser financiar com a Caixa Econômica, mas não quiser criar relacionamento, tudo bem. Essa taxa passa para 9.75% ao ano.

4. Novas taxas de imóveis comerciais

A taxa para imóvel comercial sempre é SFI. Sendo assim, será 8,5% com relacionamento com o banco e 9,75% sem relacionamento.

Para imóveis comerciais novos na tabela SAC, o máximo financiado passa de 50 para até 80%.

E se for um estabelecimento usado, na tabela SAC também, é possível financiar o máximo de 40 para até 70%.

5. Porcentagem maior de financiamento total

Se você está comprando um imóvel na planta com uma construtora que promova o financiamento com a Caixa Econômica, outra novidade.

Antes você só poderia financiar 80% do valor total. Agora, esse percentual chega a 90%. A notícia é recebida com otimismo por vários clientes que antes não tinham em mãos os 20% de entrada no valor do imóvel.

6. Onde pode usar a nova taxa

Dessa forma, você já pode planejar o financiamento para seu novo lar. Seja como for, a Caixa reduz as taxas de juros para habitação de imóvel novo, imóvel usado, aquisição de terreno e construção, construção em terreno próprio e reforma e ampliação.

Ou seja, é só começar a pensar qual projeto mais se adequa com as suas necessidades em família!

7. Caixa reduz as taxas de juros para habitação e renegocia dívidas

Se você acha que a Caixa reduz as taxas de juros para habitação e acabou, ainda tem mais vantagem.

Os atrasos no pagamento dos financiamentos imobiliários de pessoas físicas também tem espaço nesse novo pacote de mudanças. Nesse sentido, se você está em débito, pode buscar a agência para tentar negociar um acordo.

Em princípio, você pode usar o saldo do FGTS para redução da dívida, assim como mudar os dias de vencimento das parcelas, além de fazer o pagamento à vista de uma entrada e a incorporação das parcelas atrasadas nas próximas prestações do empréstimo.

Então, sabe quem será beneficiado com essa renegociação? Cerca de 2,3 milhões de pessoas.

 

fonte: https://souzagomes.blog/caixa-reduz-as-taxas-de-juros-para-habitacao/